Próximo jogo: FC Porto vs Benfica, Sábado ás 20h30 para a 24.ª jornada da Liga NOS no Estádio do Dragão
Bem vindo Dragão, 26 de Maro de 2019

Raça Dragão

Crónicas do Dragão

Análise e opinião sobre o jogo AS Roma 2 vs 1 FC Porto 8º final da Champions League 2018/19

Adicionado em: 12 de Fevereiro de 2019 // Fonte: Pedro Carvalho

Imagem



Sérgio Conceição alinhou com o seguinte onze para o embate com a Roma hoje: Casillas, Éder Militão, Felipe, Pepe, Alex Telles, Danilo, Herrera (cap.), Otávio, Brahimi, Fernando Andrade e Soares.

Ora bem, no jogo de hoje a nossa primeira parte, embora que controlada, deixa bem claro na nossa esfera portista que o nosso grande mister Sérgio Conceição, continua a apostar numa defesa de 3 centrais, com um que está claramente adaptado, Éder Militão.

Jogaram-se os primeiros 45 minutos com muito suor, muita corrida e pressão como habitual dos nossos jogadores frente ao Roma. Contudo, nota-se que existem alguns jogadores que ainda não estão nas perfeitas condições, ou digamos, forma, para que sejam escolha no nosso onze inicial, muito embora convém dizer e que é a mais pura das verdades, não temos todos os jogadores disponíveis, e isso claro, faz com que Sérgio Conceição, tenha de olhar para outras soluções.

Importa dizer: Que grande jogo de Danilo, o homem é um trator, uma máquina no miolo do meio campo em frente dos defesas, esteve muito bem em toda a partida. Mas na minha modesta opinião e como treinador de bancada, gostava de dizer que em revés de Otávio, deviamos ter alinhado com Óliver neste jogo, ele trazia uma distribuição de jogo mais precisa e visão dentro do nosso meio campo, especialmente no apoio ao ataque. Ao final dos primeiros 45 minutos, todos nós notámos que faltava gente no meio campo, embora Herrera e Otávio tentassem preencher as zonas da melhor forma possível.

Mas por outro lado fez-se sentir a muita falta de alguns dos jogadores do Porto! Falo de Marega e porque não, Abubacar. Não temos tido muita sorte com os nossos avançados de referência, isso está claro para todos nós dentro da esfera portista.

Não tenho dúvidas nenhumas que a nossa equipa defensivamente é boa, contudo e falando na defesa, não creio que Pepe esteja na melhor forma para estar a jogar na primeira equipa de momento, quando temos Éder Militão que faz aquela posição, na minha opinião, muito melhor e de uma forma mais segura, junto de Filipe. Para adaptar um jogador no corredor direito, não temos melhor que o Corona, embora que tenha ficado de fora neste jogo, mas esteve Maxi, que não foi opção.

Na segunda parte Sérgio não mexeu na equipa, entrámos fortes, a pressionar alto, mas a Roma conseguiu chegar muitas vezes perto da área do Porto, muito graças a algumas bolas perdidas e pontapés para a frente que foram dados pelos nossos defesas de forma a aliviar um pouco a pressão dos italianos que estavam por cima do jogo nesta altura, obrigando Casillas a defesas verdadeiramente incríveis. Sempre em grande nível Casillas como sempre nos habituou.

Após pressão alta e num momento que o Porto lá ia mais ou menos, controlando a partida, numa falta não assinalada pelo árbitro da partida (que até esteve bem no jogo inteiro, diga-se em sua justiça), Brahimi lesiona-se e lá perdemos mais um jogador importantíssimo, estava em grande forma no jogo, contudo, tem de largar a bola mais rápido, não ficar tanto com ela, não sei bem dizer...

Como um mal, nunca vem só, infelizmente, Casillas não conseguiu parar tudo, e logo após a saída de Brahimi do jogo para a entrada (forçada) de Adrián López, a Roma, até sem saber muito bem como, chega ao 1-0 e poucos minutos depois chega ao 2-0 e o estádio em Roma, abanava por todos os lados com os adeptos italianos a fazerem a festa em casa, eu por outro lado, espumava da boca...

A verdade é que após o segundo golo da Roma, e com a saída do já esgotado e muito esforçado Fernando Andrade (correu o campo todo sem parar) por André Pereira, surge o Porto que todos conhecemos e esperamos sempre ver, a Raça Portista apareceu e o nosso Porto atacava sem parar a Roma, muito embora debilitado de jogadores atacantes como referi antes, mas dentro do possível e com os jogadores que tinha em campo, tinhamos jogo e vi finalmente o nosso Porto atacar e a criar jogadas perigosas na área da Roma.

Foi de cortar a respiração, não recomendado a cardíacos de forma alguma, o Porto atacava e num lance muito bem desenhado do ataque portista, surge o golo do Porto por Adrián López (practicamente só fez o golo na partida), que de primeira, mete a bola dentro da baliza da Roma. Estava feito o 2-1 em Itália. Depois disto só deu Porto, tantas oportunidades e ataques, Sérgio Conceição volta a mexer e troca Otávio por Hernâni para dar mais força ao ataque, Sérgio Conceição fez tudo o que podia, com as ferramentas que tinha e não são muitas.

Herrera quase faz o 2-2 num remate que merecia melhor sorte. Já tinhamos tido uma oportunidade de Danilo que quase dava também em golo, mas infelizmente não conseguimos, podiamos até ter saído de Roma com uma vitória ou empate, a determinada altura, puxava pelo nosso Porto, como todos vós, acreditava que pelo menos iamos conseguir empatar o jogo.

Aproximava-se o final da partida, aos 90 minutos o árbitro dava mais 5 minutos de jogo, e o Roma, começava a desperdiçar tempo, o mais que podia, de forma a deter o ataque portista, ou pelo menos para que pudessem respirar um pouco, tal era a nossa pressão frente aos italianos na partida.

Eu não parava de pensar, que se estivessem em campo Marega, Óliver e Corona (pelo menos) as coisas seriam certamente diferentes. E sim com razão. Entretanto termina a partida em Itália e perdiamos por 2-1 em Roma. Ponto final estava feito o resultado. Fica para a estatística (que vale o que vale) a primeira derrota em Roma do FC Porto em 5 jogos disputados, 2 deles favoráveis ao Porto, 2 empates e agora a derrota.

As coisas não correram da melhor forma, mas caímos em Roma de cabeça erguida, sendo que temos a 2ª mão ainda para disputar no Dragão com uma bola a nosso favor, quer isto dizer, que se o nosso Porto marca um golo no Dragão sem sofrer, passamos em frente (e eu acredito que pudemos marcar até mais que um golo no Dragão, temos equipa para isso).

Terminado o jogo em Roma, os jogadores do FC Porto reuniram-se para a habitual roda no final da partida, que os dragões perderam por 2-1. A derrota frente à Roma deixa, ainda assim, tudo em aberto para a segunda mão, a disputar a 6 de março no Dragão, e foi essa a mensagem transmitida por Sérgio Conceição aos jogadores.

Nós vamos passar. Nós vamos passar, c...lho, atirou, convictamente, o treinador do FC Porto, cujas palavras foram bem visíveis na transmissão televisiva. Sérgio, eu acredito que sim, vamos passar c...lho.

Caros Portistas. Seja na vitória, seja na derrota, serei sempre portista, com orgulho, e antes que me critiquem sobre qualquer assunto, quero deixar isto bem claro. Eu vibro, tenho ataques cardíacos, e tremo a toda a hora, sempre que o nosso campeão entra em campo e pouco me interesso por ataques à minha pessoa, nós portistas devemos de nos apoiar, concordem ou não com as opiniões, respeitem todos e sejamos unidos, isso sim é que é ser portista.

Forte abraço a todos e vamos acreditar que conseguimos fazer melhor e por favor, vamos apoiar a equipa e Sérgio Conceição.



PARTILHAR PÁGINA

Raça Dragão - A vencer desde 1893 © 2017/2018
2+ Anos a oferecer conteúdos Portistas
Todos os direitos reservados

Nenhuma parte das publicações deste website podem ser reproduzidas, distribuídas ou transmitidas em todas as formas usando qualquer tipo de meio, incluíndo fotocópias, gravações ou outro tipo de uso electrónico, sem que para isso exista uma permissão por escrito dos donos desta plataforma, excepto em alguns casos de partilha permitida não comercial. Todos os dados desta plataforma estão protegidos pelas actuais leis em vigor. O Raça Dragão não aloja nenhum tipo de conteúdo em formato de vídeo e qualquer link que se encontre dentro deste website terá a responsabilidade das pessoas e/ou entidades que os representam.

Web Design, Alojamento Web e Programação
DSGDROPS®