Próximo jogo: FC Porto vs Benfica, Sábado ás 20h30 para a 24.ª jornada da Liga NOS no Estádio do Dragão
Bem vindo Dragão, 26 de Maro de 2019

Raça Dragão

Crónicas do Dragão

Quando assistimos uma Federação com uma televisão à frente, e não consegue penalizar os Benficas

Adicionado em: 12 de Fevereiro de 2019 // Fonte: Pedro Carvalho

Imagem



Deu que falar o pedido de dispensa do juiz leiriense, apenas um dia após as duras críticas de Luís Filipe Vieira, mas o que aconteceu nas meias-finais da Taça da Liga serve, também, para refletir sobre o futebol português. A última edição da Taça da Liga ficou ferida pela polémica, com discursos inflamados entre alguns clubes, e acusações fortes às equipas de arbitragem. Luís Filipe Vieira, presidente do Benfica, afirmou no final da derrota (3-1) com o FC Porto que Fábio Veríssimo, que desempenhou as funções de VAR, não mais podia ser árbitro depois dos erros de avaliação que tinha cometido, referido pelo presidente dos pneus!

Relembro as palavras daquele dirigente encarnado...

Quando assistimos alguém com câmara de televisão à frente, é árbitro e não consegue distinguir em lance de TV se é fora de jogo ou não (falando no golo anulado a Pizzi aos 45+2) se não consegue distinguir, no lance do primeiro golo do FC Porto, se é falta ou não, este homem não pode arbitrar mais.

Curiosamente no dia seguinte e sem sequer deixar passar 24 horas sobre o assunto... Depois das críticas, Fábio Veríssimo acabou por pedir dispensa, por tempo indeterminado, ao Conselho de Arbitragem (CA) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF). A atitude de Fábio Veríssimo, ao reconhecer um período em que a sua forma não é a ideal, define-o como homem e prestigia-o como elemento de um grupo forte e empenhado em trabalhar duramente para melhorar a arbitragem portuguesa, escreveu o organismo liderado por José Fontela Gomes. O que me leva ainda mais a reflectir sobre o assunto... Pois se estranho estava tudo isto ainda mais ficou depois deste episódio, no mínimo caricato... Pediu dispensa? Mas querem enganar quem? Mas há mais...

No mesmo comunicado, o Conselho de Arbitragem garante que nunca aceitou e nunca aceitará qualquer veto de árbitros por parte dos clubes ou outros agentes desportivos e que considera igualmente inaceitáveis quaisquer outros tipos de pressão sobre as nomeações e gestão dos árbitros nacionais.

A estas declarações, aqui no Raça Dragão dizemos, sim, sim, abelha Maia, vai dizendo essas coisas, quando ainda tens imensos processos a correr na justiça portuguesa que por acaso mostram o contrário, ou será que este organismo já passou um pano sobre o assunto e esqueceu tudo o que aconteceu no passado que ainda é bem presente? Pergunto-me curioso que sou...

A segunda meia-final foi igualmente fértil em relação ao tema. Após o desaire com o Sporting, nos penáltis, o presidente do SC Braga acusou Manuel Oliveira de ser um mau árbitro, que não sabe o que faz e que não tem coragem. Abel Ferreira, treinador dos minhotos, atirou-se contra o VAR após o golo anulado a João Novais, apelando a que deixem os árbitros errar.

Curioso tudo isto, mas é bem interessante e ninguém quase ouviu falar disto mas, segundo avançou o jornal A Bola no passado dia 25 de janeiro, o juiz da AF Porto também ficará de fora das nomeações nas próximas jornadas. Bem, que coincidência dos diabos, só pode ser para rir... Ora aqui temos a prova inequívoca de que quer o Benfica, quer o Benfica B, ah desculpem, o SC Braga, não de forma alguma, nunca exerceram pressão sobre o organismo, sendo que o Conselho de Arbitragem garante que nunca aceitou e nunca aceitará qualquer veto de árbitros por parte dos clubes. Pois claro!

Caros Portistas, estarei eu maluco? Será que só eu vejo o que se passou aqui? Não creio, tudo isto é público, está tudo escrito, tudo documentado e nada se falou sobre isso, só se soube falar do tal golo, que não foi do Benfica e como tudo pareceu um escândalo, abanou o mundo do futebol nacional durante quase duas semanas com estas coisas, lá se foge de falar do que realmente interessa, para mim é como morder numa linda maçã, mas após a dentada encontrar uma lagarta lá dentro de tão podre que está. Errar é humano, excepto se for contra o Benfica!

Com tudo isto, Luciano Gonçalves, presidente da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF), lamenta a forma como o processo de aceitação de dispensa de Fábio Veríssimo foi conduzido por parte do Conselho de Arbitragem.

Também eu lamento e muito, quando pensava que estava a ler algo que tinha interesse, afinal, lamentei, ora vejam porque...

Diz Luciano Gonçalves: Não nos interessa de que forma é encarada a situação publicamente. Enquanto Associação da classe, preocupa-nos a forma como as notícias sobre os árbitros são utilizadas para justificar o quer que seja e que sejam tornadas públicas decisões ou solicitações que apenas deveriam ser tratadas no foro interno das instituições. Este tipo de notícias, ao serem tornadas públicas desta forma, não defendem nem o árbitro nem a arbitragem.

A isto, confirmo que tem toda a razão, aliás durante anos e anos, o Benfica conseguiu calar tudo e todos com poeira nos olhos de todos, e todos sabiamos do que se passava e nada se fez, falava-se apenas sobre o assunto, mas naquela altura não existiam provas, agora há!

A APAF, de resto, já havia manifestado publicamente que, apesar de não compreender e não concordar com a dispensa temporária de Fábio Veríssimo, não pretende interferir na gestão efetuada ao caso. E não hesita em defender o juiz de Leiria, assim como Manuel Oliveira.

Fantástico! É a cereja no topo do bolo.

Os árbitros estão bem e focados no seu trabalho. Naturalmente não podem estar satisfeitos por verem a sua honorabilidade ser posta em causa desta forma tão desumana. São homens de família e querem preservar o seu bom nome e profissionalismo, assegurava Luciano Gonçalves, que dizia ainda ter avançado com uma queixa contra Luís Filipe Vieira, António Salvador e Abel Ferreira no Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol.

Foi? Que queixa? Ai que me dá uma coisa.... Deu nas notícias? Em que canal? Na BTV? Humm? Oh Luciano meu filho, onde meteste a queixa?

Algures em novembro de 2016, José Mourinho foi punido com um jogo de suspensão e multado em cerca de 12 mil euros por criar pressão através de comentários sobre o árbitro Anthony Taylor. Na véspera do duelo com o Liverpool, o então treinador do Manchester United afirmou que Taylor era um bom árbitro mas acreditava que alguém estava a colocar uma pressão desmedida sobre ele, pelo facto de ser natural de Manchester.

E agora vejam como funcionam os orgãos lá fora... A federação inglesa de futebol viu os comentários como uma camada adicional de pressão sobre o juiz da partida, e acusou o técnico português de conduta imprópria e de descrédito do jogo.

Mas não foi caso único, existem muitos, senão vamos relembrar... No ano passado, Vítor Pereira, treinador do Shanghai SIPG, também não escapou à mão pesada da Federação Chinesa de Futebol: três jogos de suspensão e mais de dois mil euros de multa depois de ter aplaudido o árbitro pelo cartão amarelo mostrado a Hulk, durante o encontro frente ao Guizhou Zhicheng, por BATER PALMAS, PALMAS! Isto é demais!

Esta Federação anda a dormir em serviço, ou antes... Quando assistimos uma Federação com uma televisão à frente, e não consegue penalizar os Benficas, O Benfica da Mouraria e o outro lá de cima...

Boa semana a todos os portistas e obrigado por lerem o meu texto, espero que tenham gostado, deixem os vossos comentários em baixo e partilhem a página com os vossos amigos e conhecidos, mas por favor, só portistas também, que dos outros são 6 milhões de cabeçudos que não me interessa muito ver, nem olhar para eles.

Vamos Porto!



PARTILHAR PÁGINA

Raça Dragão - A vencer desde 1893 © 2017/2018
2+ Anos a oferecer conteúdos Portistas
Todos os direitos reservados

Nenhuma parte das publicações deste website podem ser reproduzidas, distribuídas ou transmitidas em todas as formas usando qualquer tipo de meio, incluíndo fotocópias, gravações ou outro tipo de uso electrónico, sem que para isso exista uma permissão por escrito dos donos desta plataforma, excepto em alguns casos de partilha permitida não comercial. Todos os dados desta plataforma estão protegidos pelas actuais leis em vigor. O Raça Dragão não aloja nenhum tipo de conteúdo em formato de vídeo e qualquer link que se encontre dentro deste website terá a responsabilidade das pessoas e/ou entidades que os representam.

Web Design, Alojamento Web e Programação
DSGDROPS®